Globo admite que errou ao produzir reportagem sobre Heloisa Bolsonaro.

Por: Aloísio Coutinho / Fonte: Portal imprensa.

O Conselho Editorial do Grupo Globo divulgou uma nota reconhecendo decisão editorial equivocada na publicação da reportagem “O coaching on-line de Heloisa Bolsonaro” pela revista Época. Publicada no dia 13 de setembro, a reportagem narra a experiência de vivenciar 5 sessões de coach com Heloísa Bolsonaro, mulher de Eduardo Bolsonaro, via webcam.

“O erro da revista foi tomar Heloisa Bolsonaro como pessoa pública ao participar de seu coaching on-line. Heloisa leva, porém, uma vida discreta, não participa de atividades públicas e desempenha sua profissão de acordo com a lei. Não pode, portanto, ser considerada uma figura pública. Foi um erro de interpretação que só com a repercussão negativa da reportagem se tornou evidente para a revista”, diz o comunicado.

Crédito:Reprodução

Em publicação no Instagram, Heloísa alegou que João nunca se revelou como repórter.  “Peguei meu celular e havia várias chamadas perdidas de um ‘ex-cliente’. Logo que vi, retornei, preocupada. ‘Será que está bem?’ pensei. ‘Então, estou ligando para te comunicar que eu registrei todas as nossas 5 sessões e vou publicar na revista Época. Você quer falar alguma coisa?’ Juro que eu nem entendi na hora, até respondi, confusa: ‘Oi?’ e perguntei: ‘Mas você acha ético isso?’’.  Na sexta-feira, quando a reportagem foi publicada, Eduardo Bolsonaro afirmou pelo Twitter que iria processar o jornalista responsável e que é “quase certo” que a revista Época e o Grupo Globo também serão notificados. 

Crédito:Reprodução

“Vamos processar o repórter da Época/Globo @Joao Saconi, o editor-chefe @pfraga e a diretora de redação @dpinheiro_press.  Da próxima vez que a Época falar besteira tem que lembrar ‘ah, aquela revista que fez covardia com a nora do Bolsonaro”…credibilidade zero”, escreveu.

Por: Aloísio Coutinho / Fonte: Portal imprensa.

Comenta essa Matéria

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.