Home / Política / Bolsonaro detona desculpas da OMS: “Afetaram a economia”

Bolsonaro detona desculpas da OMS: “Afetaram a economia”

Após a Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmar que a chance de pacientes sem sintomas transmitirem a Covid-19 para outras pessoas é rara, o presidente Jair Bolsonaro foi às redes sociais para criticar duramente a organização.

Em sua postagem, Bolsonaro falou sobre as decisões recentes da OMS de voltar atrás sobre as pesquisas com a hidroxicloroquina e da constatação com os pacientes assintomáticos e disse que tais decisões afetaram negativamente a economia.

– Após pedirem desculpas pela Hidroxicloroquina, agora a OMS conclui que pacientes assintomáticos (a grande maioria) não têm potencial de infectar outras pessoas. Milhões ficaram trancados em casa, perderam seus empregos e afetaram negativamente a Economia – disse.

A publicação é mais um sinal de que relação entre o presidente e a entidade internacional segue estremecida. Na última semana, Bolsonaro chegou a anunciar que sairá da OMS caso a instituição continue trabalhando com o que ele chamou de “viés ideológico”.

– Adianto aqui: os Estados Unidos saíra, da OMS, a gente estuda no futuro, ou a OMS trabalha sem o viés ideológico ou a gente vai estar fora também. Não precisamos de gente lá de fora dar palpite na saúde aqui dentro – afirmou.

Por: Aloísio Coutinho | Fonte: Pleno News

Para comentar esta notícia você deve está logado no Facebook, os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores, e não representam a opinião deste site. Se algum comentário violar os termos de uso, denuncie.

Sobre Aloísio Coutinho

x

Check Also

Desaprovação de Bolsonaro cresce por sua gestão do coronavírus

O índice de desaprovação do presidente Jair Bolsonaro aumentou por causa da sua postura contrária ...

Covid 19 | Governo da Bahia pagará conta de luz de mais de 670 mil pessoas por noventa dias

O Governo da Bahia vai assumir o pagamento da conta de luz de mais de ...

Bolsonaro diz que vírus é como chuva: ‘Você vai se molhar, mas não morrer afogado’

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mudou o tom em relação ao pronunciamento de terça-feira, 31, ...